Ajuda

Ficou com alguma dúvida?

Esclareça quaisquer dúvidas sobre agendamentos

Para os exames que necessitam de preparo, pedimos 24 horas de antecedência para a marcação. No caso de exames em que o plano de saúde exige autorização, o prazo pode ser de 24 até 48 horas.

Biópsia da tiróide ou mama (punções por agulha fina – PAF) a marcação deverá ser realizada somente na clínica, com o pedido médico em mãos.

O agendamento de exames poderá ser feito pessoalmente na Clínica ou pelo telefone.

Após a marcação do exame, você receberá a ligação de nossos atendentes na véspera da data marcada, em até 2 tentativas de localização e em horários diferentes, para confirmar o comparecimento do paciente.

Caso não seja possível localizar o paciente, o exame será automaticamente desmarcado pelo sistema de informática.

Diante da impossibilidade de confirmação do exame, o paciente que for a clínica ficará sujeito à disponibilidade de horário de atendimento.

Em caso de não comparecimento pedimos que por gentileza nos notifique por telefone

Prazo de entrega padrão: 3 a 5 dias úteis. Consulte nossos atendentes sobre o exame que foi solicitado, para obter a informação específica.

O tempo de aprovação da guia pelo convênio é estimado em até 1 hora e não depende da clínica.

Orienta-se que a guia para atendimento em várias operadoras é exigência: carimbo médico, assinatura médica, data sem rasura, guia sem rasura e data da guia com validade em até 30 dias.

Normalmente, a utilização do contraste endovenoso e/ou oral, não traz nenhum tipo de risco para o paciente desde que o mesmo não apresente nenhum tipo de sensibilidade e/ou insuficiência renal. Dificilmente as pessoas apresentam alguma reação ao utilizarem os contrastes, tendo em vista que são extremamente seguros.
Caso você tenha história de sensibilidade ao contraste ou problemas renais, entre em contato com o medico assistente da clínica, para que ele oriente a correta utilização do meio de contraste.

É importante observar que alguma parte do vestuário sobre a região estudada pode interferir diretamente no resultado, gerando falsas imagens (artefatos). Por exemplo botões, fechos metálicos, além de adornos como: piercings, brincos, anéis e etc. Além disto, os Laboratórios NASA fornecem roupas adequadas para a realização dos exames de imagem, para maior conforto dos clientes e para evitar que, eventualmente, alguma substância utilizada durante o exame (meios de contraste) possa danificar as roupas.

O radiologista utiliza os exames anteriores para comparação com os resultados atuais e elaboração de um laudo mais completo, que pode fornecer informações referentes à evolução de alguma doença. Por outro lado, se, no exame atual, surgir alguma alteração, é possível a comparação com exames anteriores para confirmar a agressividade do processo. A análise conjunta dos exames anteriores com os atuais complementa o estudo do caso pelo radiologista. Quando os exames anteriores não são apresentados no dia da realização do exame, o radiologista pode solicitar que os mesmos sejam enviados para análise comparativa posteriormente.

O estômago preenchido interfere na análise de alguns órgãos, como pâncreas e retroperitonial, além de esvaziar a vesícula biliar com seu conteúdo natural a bile, impedindo sua análise efetiva.

São métodos diferentes que se complementam, e demonstram formas específicas de análise das lesões, permitindo a visualização das características próprias de cada método. A ultrassonografia melhor diferencia nódulos de natureza cística de sólida, especialmente em mamas com pouco tecido gorduroso (mamas “densas”). Já a mamografia melhor evidencia microcalcificações e distorção de densidades focais que possam sugerir neoplasia.

a Mamografia digital ou analógica, se faz necessária a compressão, objetivando-se reduzir a distância da mama e do foco de formação da imagem. Assim é possível proporcionar um diagnóstico mais preciso. Com a compressão, as estruturas da mama são separadas ou diferenciadas, permitindo uma melhor avaliação pelo médico radiologista.

Meio de contraste é uma substância utilizada em exames de diagnóstico por imagem para contraste de partes do organismo. Torna possível analisar em detalhes as regiões do organismo que interessam ao médico que solicitou o exame. Os meios de contraste podem ser administrados via oral, intra-venosa, intra-arterial, uretral, retal e nas glândulas salivares. A escolha da melhor forma de administração depende do exame solicitado e da região de interesse. Os meios de contraste são utilizados em exames: Radiológicos, ressonância magnética e mais recentemente em ultrassonografia. Cada caso é analisado por médicos que decidem se há necessidade ou não de utilização dos meios de contraste.

O atendimento de gestantes, idosos e crianças é prioritário. No entanto, em algumas situações, é necessária a presença de profissionais mais especializados (área infantil, área ginecológica) causando, algumas vezes, uma certa demora.

Não há relato na medicina baseada em evidência, de que os exames ultrassonográficos possam ser nocivos à saúde.

A distensão por líquido da bexiga permite uma melhor análise dos órgãos pélvicos – útero, ovários, próstata e vesículas seminais. Com a bexiga vazia ou pouco cheia, o intestino ocupa a parte mais baixa do abdome e bloqueia quase totalmente a visualização dos órgãos pélvicos pelo ultrassom. Com a bexiga cheia, o intestino é deslocado para cima e para os lados, permitindo ver com nitidez o útero, os ovários, a própria parede da bexiga, e no homem, a próstata.

Ainda com alguma dúvida?

Fale conosco via Whatsapp